campanha-970
campanha-crianca-970x250
campanha-pai-970x250
campanha-distanciamento-970x250
campanha-BALADA-970x250
Paraná

Aeronaves da Casa Militar realizaram 92 horas de voo entregando vacinas contra Covid-19

Pela estratégia adotada desde o começo do ano, as doses que chegam a Curitiba são encaminhadas para as 22 Regionais em até 24 horas, o que acelera ...

04/05/2021 20h07
Por: Redação
Fonte: Secom Paraná
3
© Gilson Abreu/AEN
© Gilson Abreu/AEN

As aeronaves da Casa Militar realizaram 92 horas de voo entregando vacinas contra a Covid-19 para as Regionais de Saúde mais afastadas da Capital no primeiro quadrimestre deste ano. São mais de três dias ininterruptos de deslocamento para levar cerca de 1,2 milhão de doses para os paranaenses, o que representa 40% das pouco mais de 3 milhões de doses distribuídas aos 399 municípios entre janeiro e abril.

Entre as cidades atendidas pelo transporte aéreo estão Maringá, Londrina, Cascavel, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Apucarana, Umuarama, Campo Mourão, Cianorte, Paranavaí, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo e Telêmaco Borba, todas sedes de Regionais de Saúde. As demais, próximas a Curitiba, região mais populosa do Estado, costumam receber as remessas com caminhões refrigerados.

Pela estratégia adotada desde o começo do ano, as doses que chegam a Curitiba são encaminhadas para as 22 Regionais em até 24 horas, o que acelera o processo de vacinação. Em alguns casos a distribuição acontece em menos de um dia, a depender das condições climáticas e das rotas estabelecidas pelas equipes técnicas.

“Desde o começo da pandemia nos organizamos para ser rápidos. As aeronaves do Estado deram celeridade para todo o processo e foram fundamentais para imunizar rapidamente os paranaenses. Com o aumento das chegadas, criamos também a campanha De Domingo a Domingo e o Corujão da Vacinação. Não queremos doses paradas. Elas precisam chegar com urgência nos grupos prioritários”, destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Pela dinâmica atual, o Ministério da Saúde recebe doses dos imunizantes Covishield (AstraZeneca/Oxford/Fiocruz) e Coronavac (Sinocav/Butantan) e as encaminha em voos comerciais para Curitiba. Logo em seguida os lotes são transferidos para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), onde são separados e reorganizados. As vacinas destinadas ao Interior são levadas ao Aeroporto do Bacacheri, na Capital, de onde saem os voos. A distribuição no Interior, a partir dos aeroportos municipais, fica a cargo das Regionais.

A Casa Militar utiliza quatro aeronaves para o transporte de vacinas: um Beechcraft King Air 350, um Cessna Grand Caravan, um helicóptero Eurocopter EC 130 B4, já utilizados anteriormente, e o Beechcraft King Air C90B adquirido neste ano – essa aeronave substitui dois Embraer Senecas dos anos 1980 e permite reduzir o tempo de deslocamento e aumentar o alcance de atendimento. Aviões e helicópteros do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) tambémparticipam da operação, sob coordenação da Casa Militar.

“Recebemos essa missão do governador e nos organizamos para atender os paranaenses todas as semanas com rapidez. A Secretaria de Estado da Saúde faz a divisão das doses e logo em seguida nós encaminhamos as vacinas para o Interior. As decolagens e pousos são aguardadas com ansiedade pelos municípios. Essa operação tem ajudado a salvar vidas no Paraná”, afirmou o tenente-coronel Welby Salles, chefe da Casa Militar.

PARCERIA– O secretário estadual da Saúde, Beto Preto, destacou que a operacionalização da distribuição das vacinas no Interior é mais uma prova da parceria bem-sucedida entre a Casa Militar e a pasta. O exemplo mais emblemático é o transplante de órgãos, em que o Paraná é referência nacional em agilidade e comprometimento com a fila de espera. Apenas em 2021 foram 67h54min de voo em apoio à Central Estadual de Transplantes de Órgãos, totalizando 23 atendimentos.

“O Paraná tem 399 municípios e larga extensão territorial. Precisávamos ser rápidos na dinâmica das vacinas contra a Covid-19 porque é a única solução que temos. Desde o começo do ano preparamos um roteiro que envolve diversos profissionais e agilizamos a disponibilidade das doses para as secretarias municipais de Saúde. A ideia é fazer o imunizante chegar nos braços dos paranaenses o quanto antes. Temos tido êxito nessa estratégia”, afirmou Beto Preto.

Ele destacou que esse apoio permitiu ao Paraná aplicar mais de meio milhão de doses aos finais de semana e vacinar mais de 37% do grupo prioritário em menos de quatro meses. Segundo o Vacinômetro, quase 1,8 milhão de paranaenses tomaram a primeira dose e mais de um milhão já foram imunizados com as duas doses, completando o ciclo vacinal indicado pelos laboratórios que produzem os imunizantes.

CASA MILITAR– No primeiro quadrimestre do ano, a Casa Militar também coordenou a entrega de cestas básicas em locais isolados. A operação esteve dentro da campanha Cesta Solidária, promovida pela Superintendência Geral de Ação Solidária (SGAS). Neste ano foram arrecadados mais de 200 toneladas de alimentos para ajudar as famílias mais vulneráveis do Estado.