Anúncio
São Paulo

Escolas estaduais realizam ações de acolhimento e apoio mesmo durante a pandemia

Motivação, doação e combate ao bullying fazem parte dos trabalhos desenvolvidos

20/07/2021 15h40
Por: Redação
Fonte: Secom Estado de São Paulo
7
Foto: Reprodução/Secom Estado de São Paulo
Foto: Reprodução/Secom Estado de São Paulo

Comemorado em 20 de julho, o Dia do Amigo e Dia Internacional da Amizade é uma data para celebrarmos os laços e lembrar que juntos conseguimos superar os mais difíceis desafios. Para as escolas da rede estadual de São Paulo um dos desafios durante a pandemia do coronavírus (COVID-19) foi justamente manter os vínculos com os estudantes e comunidade. Confira algumas ações de acolhimento e solidariedade desenvolvidas:

Doação de cobertores

Na Escola Estadual Alvino Bittencourt, localizada na zona leste da capital, a equipe gestora organizou uma arrecadação de cobertores para serem distribuídos entre as famílias em vulnerabilidade dos alunos da unidade e demais membros da comunidade local.

“Os problemas sócios econômicos se agravaram neste momento pandêmico e só podem ser resolvidos com o auxílio de trabalhos de solidariedade e amizade, para juntos podermos fazer a diferença proporcionando mudanças para minimizar esses efeitos negativos”, disse a diretora da unidade Simone Lopes Guidorizzi.

Alunos acolhedores

Em Castilho, os alunos da Escola Estadual Dario Giometti Essor prepararam depoimentos e mensagem de acolhimento com fotos para receber os alunos no retorno às aulas presenciais. “Regressar às aulas é retomar o conhecimento, o convivo com colegas, a alegria de evoluir”, diz o cartaz produzindo pela aluna Fernanda Barbosa.

As frases também foram direcionadas aos educadores equipe escolar. “Professores, continuem firmes na missão de transmitir conhecimento. Vocês são especiais”, escreveu a aluna Cassiane Vitória da Silva.

Combate ao bullying

Outra ação que estreita os laços de amizade acontece na Escola Estadual Educador Pedro Cia, em Santo André. Lá o projeto Sentinela tem o objetivo identificar e inserir em um contexto de sala de aula, escola e sociedade, estudantes que vítimas de bullying e cyberbullying. Através de aulas dialogadas, dinâmicas e jogos todos os alunos da unidade são sensibilizados sobre o tema.

Depois, por meio de sorteio, será escolhido uma Sentinela para cada estudante da turma. A Sentinela terá o papel de conhecer, cuidar, incentivar, amparar, motivar e interagir com o estudante sorteado. A criatividade está liberada, ou seja, o envio de “cartinhas”, mensagens, presentes e mimos por meio das sentinelas é o ponto forte do projeto. O grande objetivo dos “mimos” é fazer o outro (estudante) se sentir: amado, acolhido, visível.